Folhablu | Heróis de quatro patas


Heróis de quatro patas

Publicado em: 2011-05-05 15:01:20

Como se não bastasse alegrar nossas vidas, ser nosso terapeuta, nos escutar quando ninguém mais nos ouve, lamber nossas lágrimas quando estamos tristes, fazer a maior farra para que nos sintamos como astros de rock, mesmo que tenha se passado apenas dez minutos da última vez que nos vimos, eles, muitas vezes, são a única chance de uma pessoa ter qualidade de vida ou até mesmo sobreviver.

Que os cães são maravilhosos todos já sabem, mas alguns peludos têm dons especiais: uma capacidade que está além da nossa compreensão: ajudar pessoas. Não são raros os casos de cães que de alguma forma salvaram alguém que estava em perigo ou passando mal. De alguma forma eles sabiam que somente eles poderiam ajudar esse alguém.

Tive a felicidade de ver dois cães em ação diante de uma emergência. Tarzan sentiu que seu dono estava em perigo e fugiu de casa para socorrê-lo. O pitbull Luthor salvou uma garota de ser violentada por marginal. No caso do pitbull, em particular, quando o dono abriu o portão para entrar com o carro, uma garota, que estava abraçada a um rapaz, passou em frente de sua casa e começou a gritar por socorro. Enquanto seu dono tentava entender o que acontecia, Luthor partiu em direção ao casal. O rapaz colocou a jovem à frente para ser atacada pelo cão. Luthor desviou da moça por várias vezes para conseguir morder o meliante, que tentou atingir o cão com a mesma faca usada para ameaçar a garota, mas não obteve sucesso.

Com a ação de Luthor uma grande gritaria começou a acontecer. O tutor do peludo tentou chamá-lo de volta para casa, afinal até mesmo ele achava que se tratava de uma briga de casal. A vizinhança saiu de suas casas para ver o que estava acontecendo àquela hora da noite, mas ao invés de ajudar Luthor a deter o agressor da garota, as pessoas começaram a jogar pedras e paus no cachorro que segurava o meliante. Após levar muitas pedradas, o cão, que também estava muito cansado, soltou o rapaz que, imediatamente, fugiu. O cachorro também correu, mas não em direção ao seu tutor. Ele dirigiu-se à moça que estava em choque, chorando, sentada no chão. Quando perceberam que o cachorro tomou a direção da garota, as pessoas entraram em desespero, prevendo que ele a atacaria. Para surpresa de todos, Luthor sentou-se ao lado da garota e não deixou que ninguém se aproximasse dela até seu dono chegar e retirá-lo do local, antes que ele fosse agredido novamente.

As coisas se acalmaram. A polícia chegou à rua. Os policiais perguntaram se a garota estava bem e o que havia acontecido. Ela contou que estava chegando da faculdade quando foi abordada por um rapaz que, com uma faca, pediu para que ela não gritasse e a abraçou como se fossem namorados. Ele a obrigou a andar em direção a uma casa abandonada que ficava no final da rua. Quando ela avistou o carro chegando à casa onde residiam os donos de Luthor, percebeu que esta era sua última chance de pedir ajuda e começou a gritar.

Depois de tomar água e ligar para seus familiares, a moça quis ver o seu salvador. Foi atendida prontamente. Quando ficaram frente a frente, todos da rua puderam presenciar uma das mais belas cenas. Luthor, como se conhecesse a moça a vida toda, se atirou sobre ela em total felicidade. Por sua vez, a moça se desfez em prantos novamente. Na sequência, os policiais acompanharam a vítima até a delegacia para prestar depoimento.

No dia seguinte, a garota voltou acompanhada por seus pais para agradecer pelo salvamento e conhecer melhor seu herói. Além de se tornar amiga da família, a garota foi presenteada com um filhote dele, que ainda está em sua companhia. Luthor, nosso grande herói, acabou virando celebridade no bairro. Atualmente ele é um "senhorzinho", sofreu um AVC, mas se recuperou e conta com os cuidados de um tutor, que o trata feito um bebê.

Sempre que me lembro dessa história, penso em quantas pessoas teriam a coragem de enfrentar alguém dessa forma, apenas para salvar um desconhecido, ainda mais hoje em dia, nessa sociedade em que vivemos, onde tudo gira em torno do interesse individual e a prioridade é sobreviver a qualquer custo, ou seja, vale a máxima do “antes ele do que eu”.

Essa é uma história de um pitbull que, assim como muitos outros cães, não recebeu a devida divulgação dos meios de comunicação por seu feito, e que deixa para nós, humanos, mais uma grande lição de solidariedade.

Por Jorge Pereira

Cinotécnico e etólogo


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial