Folhablu | Ele quer tudo que a gente come


Ele quer tudo que a gente come

Publicado em: 2011-10-23 18:11:54

Basta reunir a família à mesa para o almoço, jantar ou qualquer outra refeição que logo aparecem nossos amigos de quatro patas para também participar deste momento tão delicioso.

Geralmente estas visitas acontecem por causa da quantidade excessiva de zelo e mimo direcionada aos animais, mas quem consegue contrariá-los?

Os cães, assim como os gatos, sabem muito bem como implorar por uma delícia, alguns animais até desenvolvem técnicas diferenciadas para serem percebidos e ganharem suas tão desejadas guloseimas.

Um gato geralmente começa o processo tocando com as patas de leve no corpo de quem ele sabe que existe uma chance maior de sucesso, mas se ele perceber que a vítima não deu atenção suficiente, o jogo se intensifica e o danadinho começa a usar suas unhas, e a intensidade das investidas vai aumentando, até que ele fica chato o suficiente para conseguir seu tão desejado prêmio.

O cão tem uma tendência a vocalizar mais, o que começa com um simples sussurro, vai aumentar até um latido, com uma frequência sonora muito diferente do latido normal e com um som que parece até atravessar nossa cabeça, como um jato.

Para o cão o processo da “manipulação” é um pouco mais elaborado, após conseguir a atenção de sua vítima, mesmo que para repreendê-lo, eis que o danado utiliza sua arma secreta, e como um ator de talento digno de um Oscar, ele solta seu olhar de piedade, faz a carinha de “tô com fome” e por último, se senta, estica a patinha e faz pose de inteligente, mostrando que ele sabe fazer aquilo que você sempre pede pra ele fazer - mas que ele nunca faz.

Pronto. Isso é o suficiente para, mais uma vez, o cãozinho ou o gatinho ganhar sua tão desejada guloseima. Cães e gatos são peritos em convencer as pessoas a realizarem seus desejos, e geralmente só percebemos que o nosso pet pidão é um problema quando outras pessoas nos alertam sobre o comportamento do animal.

Precisamos ficar atentos às investidas dos nossos amigões, além de não ser uma prática saudável, em muitos casos os animais se tornam muito insistentes, chegando ao ponto de fazer assaltos quando ninguém está olhando.

Para evitar este tipo de comportamento, o primeiro passo é você ter consciência que nem todo alimento é indicado para os animais. Uma alimentação extra pode levá-lo à obesidade. O ideal é alimentá-lo com uma ração balanceada e de boa qualidade.

Depois de se conscientizar que a prática de oferecer as guloseimas pode ser prejudicial à saúde do seu pet, é importante que limites sejam estabelecidos. Alimente seu animal somente em sua vasilha, mesmo que você queira oferecer uma guloseima, que ela seja oferecida no horário de alimentação do animal e em sua vasilha de alimentação, nunca na hora em que as pessoas estejam comendo.

É de extrema importância que todos na casa tenham a mesma postura, de alimentá-lo somente nas condições pré-estabelecidas. O processo não vai surtir resultado se alguém ceder aos apelos do pidão. Todos devem ser firmes, mesmo que ele faça carinhas e expressões. Como você já sabe, os pets são os melhores atores que você vai encontrar.

Seguindo estas dicas você irá conseguir que seu pet entenda que ele só irá ganhar alguma guloseima se tiver um bom comportamento. Com isso ele vai acabar deixando de lado todo aquele processo desgastante, e muitas vezes constrangedor.

Não se esqueça de sempre consultar um veterinário para saber o que você pode ou não dar para seu amigão, e saiba que passeio e exercícios são muito mais importantes para vida e saúde do seu pet do que guloseimas.

E não se esqueça nunca: seja firme e não ceda aos olhinhos altamente manipuladores destes corações de pelo.

Por Jorge Pereira

Cinotécnico e etólogo


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial