Folhablu | A importância do comportamento natural


A importância do comportamento natural

Publicado em: 2012-06-06 10:08:24

Muitas vezes tratamos nossos cães como crianças. Compramos roupinhas, deixamos que eles durmam na cama, comam na mesa, frequentem todos os lugares que nós frequentamos e até carregamos em nossos carros. Sempre estamos preocupados com o bem-estar dos peludos, seja suprindo suas necessidades com alimento de ótima qualidade, vestuário, consultas frequentes em veterinários, banhos quase que diários e higiene impecável. Mas, na maioria dos casos, principalmente quando falamos de cães de pequeno porte, os cuidados acabam passando dos limites e chegam a ser exagerados. Isso impacta diretamente no comportamento natural desses mascotes.

Muitas pessoas evitam que seus cães tenham contato com outros animais da mesma espécie, ou, em casos extremos, não permitem que seus cães andem pelo chão, com a desculpa de que eles podem infectar-se.

Privar os peludos do contato com outros cães pode trazer graves problemas comportamentais, o que pode levar seu cachorro a perder a capacidade de se comunicar com outros animais. Quando isso acontece, um encontro na rua ou em algum parque, até que o animal adquira total dependência do seu dono, por achar que somente com essa pessoa o cãozinho pode se comunicar, pode causar uma série de problemas, entre eles a síndrome de separação, a destruição desenfreada e a automutilação com ausência do dono.

Quando você priva seu cão da prática do comportamento natural de sua espécie, além de deixá-lo muito humanizado, estará impedindo que ele pratique e use seus principais sentidos, aqueles que o ajudarão a perceber com mais clareza o que acontece no entorno do seu território. A atitude de não deixá-lo andar no chão e socializá-lo com outros cães e animais vai torná-lo inseguro e medroso. Muitos, por não conhecer o ambiente, podem entrar em pânico, ficam agressivos ou pedem colo o tempo todo. Alguns cães latem para tudo o que se movimenta sem, ao menos, reconhecer a área ou avaliar a situação. Outros, relutam em sair de casa e, em casos mais graves, chegam a ter diarreia e desmaios.

Não permitir que seu mascote ande no chão e cheire os locais marcados por outros cães, ter contato com a grama e outras texturas, além de ser muito prejudicial para a boa socialização, ainda impossibilita que ele use seu olfato e audição para avaliar melhor seu território e possíveis cães que passaram por ali. Através do olfato, ao cheirar a urina de outro cão, ele pode avaliar quem passou por ali, se era macho ou fêmea, idade aproximada, se está bem de saúde, no caso de fêmeas, a possibilidade de reproduzir, ou se oferece perigo ao território. Andar, interagir, brincar, comunicar-se com outros cães também traz tranquilidade e enriquecimento psicológico, afinal, nesses momentos, ele pode desligar sua mente do seu tutor, pensar em outras coisas bem divertidas.

Se você gosta do seu cachorro, leve-o para passear e encontrar outros cães. Deixe ele cheirar o ambiente, pular, correr e até se jogar no chão, tudo isso é fundamental para manter saúde psicológica do seu peludo. Não faça do seu cachorro um pequeno humano. Cachorro é feliz sendo cachorro e não sendo carregado dentro de uma bolsa a vida toda. Permitindo que ele possa exercer seu comportamento natural verá o quanto ele será feliz e saudável.

Antes que eu me esqueça: não permitir que seu cachorro realize o comportamento natural da espécie também é mau trato, pois é o mesmo que alguém impedir que você faça as coisas que mais lhe dão prazer. Deixe seu cachorro ser cachorro e verá o quanto ele será feliz!

Por Jorge Pereira

Cinotécnico e etólogo


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial