Folhablu | Vir ou vim: eles vão vir


Vir ou vim: eles vão vir

Publicado em: 2016-08-30 15:28:33

 

 

 

 

 

 

Tenho dúvidas em relação à colocação de vim e vir. Ex: ele tem obrigação de vim/de vir amanhã. R. G., Rio de Janeiro (RJ)

 

Existem as duas formas, mas cada uma tem o seu uso específico.

 

Vim é o pretérito perfeito de vir na primeira pessoa do singular:

 

  • Todas as vezes em que eu vim sem agasalho, fiquei resfriado.

  • Sempre vim à missa nesta igreja, como sabes.

  • Nem parece que vim mais tarde - ainda há pouca gente no salão.

 

Vir é o nome do verbo, ou infinitivo, que pode ser usado de diversas maneiras: junto a outros verbos, em locuções verbais ou mesmo sozinho em frases como:

 

  • Vir bem trajado ao trabalho demonstra zelo.

  • Sempre soube que vir de bermudas não é proibido.

 

Entretanto, formou-se um cacoete na pronúncia do infinitivo vir, que se transforma em “vim” principalmente quando há aproximação de sons nasais, por exemplo: Eles podem vim, devem vim, elas vão vim... Mas com algum esforço e determinação é possível começar a acertar essa pronúncia (antes que ela acabe influenciando mal a escrita). Esta é a orientação que podemos oferecer:

 

Use o infinitivo “vir” (no afirmativo ou negativo) depois da preposição:

 

  • Ele tem a obrigação de vir cedo.

  • Os sobrinhos têm prazer em vir a nossa casa.

  • O ministro fez de tudo para vir ao estado, mas teve que ficar em Brasília no fim de semana por causa de compromissos de última hora.

  • Sem dúvida, eles têm motivos para não vir aqui.

  • O diretor disse que é para você vir à reunião amanhã, Dorneles. Mas nada de vir acompanhado de seus assessores!

 

Use “vir” nas locuções verbais (verbo auxiliar + infinitivo):

 

  • Podem vir!

  • Os alunos devem vir uniformizados, alertou a diretora do colégio.

  • Não sei se os sobrinhos vão vir aqui nas próximas férias.

  • Os garis têm de vir recolher o lixo desta viela todas as noites.

  • Temos certeza de que agora vocês já sabem vir sozinhos.

  • Eu vou vir acompanhado, posso?

 

Por Maria Tereza de Queiroz Piacentini

Diretora do Instituto Euclides da Cunha

 


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial