Folhablu | Promotor, senhor, consigo


Promotor, senhor, consigo

Publicado em: 2016-07-06 15:25:12

Qual o pronome de tratamento usado para promotor de Justiça? Sebastião Pereira Alves, Lages (SC)

 

Quando essa mesma pergunta me foi feita, tempos atrás, afirmei que se tratava o promotor de Justiça por “Vossa Senhoria”, pois era essa a orientação que nos passava o Manual da Presidência da República, de 1991, ao não colocá-lo entre as autoridades distinguidas pelo pronome “Vossa Excelência”. Todavia, a Lei 8.625/93 estabelece no seu artigo 41, I, que os membros do Ministério Público devem receber o mesmo tratamento jurídico e protocolar dispensado aos membros do Poder Judiciário. Sendo assim, promotores e procuradores de Justiça serão tratados por “Vossa Excelência” (V. Exa.).

 

Observo, não raramente, pessoas do sexo masculino, até mesmo idosos, insurgirem-se contra a forma de tratamento através do pronome senhor. Preferem qualquer outro tratamento mais informal, sob a ressalva de que “o senhor está no céu", além das mais diversas justificativas. Muitas autoridades, também, não fazem questão de ser tratadas por Ilustríssimo ou Excelência, dando preferência a tratamento pessoal relacionado à função que exerce, por exemplo: juiz fulano de tal, desembargador fulano de tal, promotor fulano de tal. Pergunto, quais as ocasiões e casos em que o pronome de tratamento "senhor" pode ser dispensado, mesmo sendo dirigido a adultos ou autoridades? V.C.T., Florianópolis (SC)

 

De fato, o pronome de tratamento senhor ou senhora é bem menos utilizado hoje do que alguns anos atrás, quando não se admitia chamar um adulto - fosse pai, mãe, tios, autoridades - de tu ou você. A propósito da antiga exigência por um tratamento mais cerimonioso, transcrevo historinha publicada pela Folha de S. Paulo em dezembro de 1999, intitulada “Folclore janista”: Jânio Quadros foi convidado, alguns anos após a renúncia, a dar uma palestra na Universidade Mackenzie, em São Paulo. O auditório estava lotado. Assim que entrou, o ex-presidente percebeu que o clima não seria nem um pouco favorável - foi recebido com uma vaia estrondosa pelos estudantes. Jânio falou durante uma hora, sem se importar com as piadinhas, assobios e outras zombarias dos estudantes. Quando terminou de falar, o reitor abriu para as perguntas. Um rapaz de cabelos compridos e chinelos, sem nenhuma cerimônia, perguntou: - Você renunciou por quê? O auditório ficou em silêncio. Jânio ajeitou os óculos, olhou bem para o garoto e respondeu, provocando gargalhadas: - O senhor já deve ter ouvido falar em Benjamin Franklin. Ele dizia que a intimidade gera dois tipos de problemas: filhos e aborrecimentos. Como não quero ter nenhum dos dois com o senhor, dobre a sua língua ao se dirigir a um ex-presidente!

 

Então, o que se faz, a princípio, é tratar os idosos, as pessoas mais velhas e as de maior hierarquia por "senhor, senhora" até o momento em que elas próprias dispensem esse tratamento. Na dúvida, é sempre melhor ser formal.

 

Gostaria de saber se posso escrever "conto consigo" ou, apenas, "conto contigo", mesmo se referindo ao pronome de tratamento Vossa Excelência. S. Z., Florianópolis (SC)

 

Você deve usar, por coerência, "conto com Vossa Excelência". "Conto consigo" seria utilizado em Portugal. Porém no Brasil consigo é pronome reflexivo, ou seja, aplicado quando o sujeito e o objeto da oração são a mesma pessoa. Por exemplo: ele conta somente consigo mesmo para executar essa tarefa. E contigo se refere à pessoa que tratamos por tu (ou por você, admitindo-se a mistura de pronomes tão comum no Brasil).

 

Por Maria Tereza de Queiroz Piacentini

Diretora do Instituto Euclides da Cunha

 


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial