Folhablu | Glória Pires fala da carreira e do livro que marca seus 40 anos de trabalho


Glória Pires fala da carreira e do livro que marca seus 40 anos de trabalho

Publicado em: 2010-07-19 10:22:16

A atriz Glória Pires concedeu entrevista onde comenta o livro que marca seus 40 anos de carreira. Contida e em até seca em alguns momentos, Glória reflete a pessoa que demonstrou ser em todo seu período profissional, que resguarda seus momentos em família e oferece pouco - quase nada - aos olhos ávidos da imprensa.

Qual foi o motivo para fazer este livro, mesmo antes de completar 50 anos de vida?

Glória Pires: O projeto é de Eduardo Nassife. Eu não concordava com uma biografia por considerar ainda cedo para isso, poderia ficar uma coisa pretensiosa. Então Eduardo sugeriu que fosse um livro comemorativo, revendo os meus trabalhos.

Como foi o processo de criação e de lembranças do resgate da sua vida? Qual foi o trecho que mais a emocionou ou mais a incomodou?

Glória: Eduardo fazia as perguntas e, algumas vezes, precisei da ajuda de minha irmã, Linda, para responder.

No livro há detalhes sobre a composição dos seus personagens, como a dedicação total para alcançar o seu objetivo. Maria Moura foi a personagem que a senhora mais se esforçou para criar?

Glória: Cada personagem precisa de uma dose de entrega, mas eu diria que Maria Moura foi, sim, uma das mais complexas.

Poucas pessoas sabem, mas na obra a senhora fala dos dois convites feitos pela revista Playboy para uma sessão de fotos nua. Um no começo da carreira, que foi negado de prontidão, e o segundo em 1993, que a senhora chegou a considerar. Caso a revista faça um terceiro convite, qual será a sua resposta?

Glória: Seria a mesma, isso não tem nada a ver comigo.

Em 40 Anos de Glória há passagens tristes, como as duas gestações interrompidas e a morte do seu irmão adotivo, além dos seus problemas de saúde. Em todas as ocasiões a senhora não desistiu e seguiu em frente. Por qual motivo não obedeceu às ordens médicas para repouso?

Glória: Eu era muito “caxias”, como dizia minha mãe. O diretor da Globo Mário Lúcio Vaz uma vez disse, brincando, que eu poderia ganhar o prêmio “operário padrão”.

Por que o episódio em que supostamente o seu marido teria se envolvido com sua filha Cléo Pires não foi retratado na obra?

Glória: Esse episódio não faz parte de nenhum trabalho meu e não foi gerado por algo verdadeiro, que tivesse acontecido em minha vida. Toda a imprensa já noticiou o que, como, quando e o desfecho. O fato, falso, gerou processos judiciais e ganhamos todos. O livro não é sobre minha pessoa, é sobre minha carreira.

O seu casamento com o ator e cantor Fábio Júnior foi muito comentado na época. Por que ele mereceu apenas uma pequena passagem?

Glória: Como já disse, é um livro comemorativo dos meus 40 anos de carreira, não é sobre minha vida pessoal.

Ao mudar para Paris, na França, a senhora deixou de ser reconhecida em locais públicos e a família ganhou uma maior privacidade. Esse foi o motivo para a mudança ou teve outro? Pretende retornar a morar no Brasil?

Glória: Em 2007, Orlando Morais, meu marido, gravou um CD com Manu Katche e Pino Paladino, que conta com a perticipação de Sting e Peter Gabriel, em Paris. Por conta disso, foi agraciado com o visto “Competence et Talent”, que dá a ele o direito de viver e trabalhar em sua área na França. Retornarei ao Brasil com as crianças e ficarei no Brasil pelo menos até que termine a novela que farei, de Gilberto Braga.

Qual foi o papel que mais a marcou no cinema?

Glória: Cada personagem é um desafio, e o cinema sempre exerceu enorme atração sobre mim, mas não fico assistindo meus filmes, normalmente.

Fazer a mãe do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a dona Lindu foi complicado, já que Lula exibe extrema devoção pela mãe? Quais foram os métodos que a senhora utilizou para criar uma personagem com esse peso?

Glória: A primeira coisa foi dissociar essa ligação e a pessoa dele. Também tive o auxílio de Suely Master, fonoaudióloga, e Sérgio Pena e Silvana, preparadores de elenco.

O autor Aguinaldo Silva diz que a Glória Pires é uma atriz de televisão que também brilha no cinema, mas não tentou nada no teatro. A maioria dos artistas da área de artes cênicas tem uma passagem, por mais que breve, pelo teatro. A senhora nunca teve vontade?

Glória: Não tenho nenhum projeto disso para o futuro, mas não me oponho também. Simplesmente ainda não aconteceu.

O livro afirma que a senhora tem uma vida múltipla. Qual o seu segredo para fazer tantas e diversas atividades e ter sucesso em todas elas?

Glória: Isso se refere à vida múltipla que toda mãe que trabalha tem que ter.

Depois de tantos personagens já feitos durante a carreira, se alguma atriz tivesse a oportunidade de fazer o papel da Glória Pires, o que a senhora diria a ela?

Glória: O que ela me perguntasse...

Em sua opinião, sua trajetória contada no livro merece mais alguma etapa, tipo filme, série, novela ou documentário? Ou um formato novo?

Glória: Não pensava nem em um livro...

Na época em que fazia a novela Água Viva a senhora “mergulhou” na Lagoa Rodrigo de Freitas, e atualmente desfruta de uma paisagem no Rio Sena, em Paris. Que diferença tem a Glória de hoje e a Glória daquela época?

Glória: A maturidade e tudo de bom que ela traz junto.

Um capítulo editado da novela Mulheres de Areia influenciou uma eleição na Rússia. A senhora tem dimensão do quanto seu trabalho pode influenciar a sociedade hoje?

Glória: Penso que toda expressão artística influencia as pessoas, positivamente.


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial