Folhablu | Defensores da escola Victor Hering vão ao Ministério Público contra unificação


Defensores da escola Victor Hering vão ao Ministério Público contra unificação

Publicado em: 2017-12-15 15:27:40

Quase 500 assinaturas de membros da comunidade escolar da EEB Victor Hering e do bairro Vila Nova avalizaram o ofício protocolado pelo presidente da Associação de Pais e Professores daquele educandário, Jean Carlos Zimermann, junto ao Ministério Público de Santa Catarina no fim da tarde de quarta-feira, dia 13. Mais cedo, uma comitiva de defensores da escola protocolou uma cópia do ofício junto do abaixo-assinado com cerca de 500 assinaturas em um encontro com o secretário executivo de Desenvolvimento Regional, Emerson Antunes, e o gerente de Educação, Eliomar Russi.

 

No ofício protocolado no Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a APP da EEB Victor Hering e a União Blumenauense de Associações de Moradores e Entidades Afins (Uniblam) solicitam que sejam tomadas providências em relação a uma série de problemas relatados, entre eles a contrariedade da comunidade em relação à unificação das direções de Victor Hering e Elza Pacheco. Avalizando as reivindicações feitas no documento, cerca de 500 assinaturas, colhidas em poucos dias. Todo o material está sendo analisado pela promotora de Justiça Caroline Moreira Suzin, da 4ª Promotoria de Justiça de Blumenau.

 

Na segunda-feira, dia 27, a Agência de Desenvolvimento Regional de Blumenau anunciou a unificação das gestões das escolas Victor Hering e Elza Pacheco. Mais: o nome de Tânia Elaine Wuaden foi confirmado como diretora das duas escolas a partir de 2018. Tânia é a atual diretora da Elza Pacheco, escola sem sede própria que habita as instalações da Victor Hering desde 2012. O anúncio provocou revolta entre os moradores da região por considerarem que a diretora beneficiará sua atual escola. No dia seguinte ao anúncio, Tânia Wuaden já apresentou um projeto para redução no número de salas de aulas disponíveis à Victor Hering e ampliação das destinadas à Elza Pacheco.

 

No encontro de cerca de 5 minutos entre representantes da comunidade com os líderes da ADR e da Gered, o secretário Emerson Antunes assegurou que não haverá alteração no número de salas destinadas para a escola Victor Hering. Antunes garantiu também que não existe a intenção por parte do estado em unificar as escolas, mas as direções. O secretário falou ainda sobre sua preocupação em aumentar o quadro de professores efetivos na escola Victor Hering. Faltou ao desenvolto secretário explicar por que já não colocou antes em prática sua intenção a respeito das efetivações, afinal comanda a ADR desde 2016. Ainda continua nebulosa a súbita perda de interesse na extinção da Victor Hering, pretendida até o ano passado. Já Eliomar Russi, visivelmente contrariado com o encontro, pouco se manifestou.

 

Uma nova reunião entre a comunidade e os líderes de ADR e Gered foi marcada por Emerson Antunes para terça-feira, dia 19, para tratar das reivindicações. O problema é uma informação ainda não confirmada de que o estado se manifestaria oficialmente sobre o assunto já na segunda-feira, dia 18. Se isso se confirmar, e a ADR ratificar a decisão de Emerson e de Eliomar, o encontro de terça servirá apenas para que ambos mostrem quem de fato manda e desmanda na rede estadual de ensino em Blumenau. O problema vai ser se começarem a desmandar mais do que mandar.

 

Por Fábio Souza

 

 


Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 99210 7635
Redação Brasil: webmaster@folhablu.com.br | Redação Santa Catarina: blumenau@folhablu.com.br | Comercial: comercial@folhablu.com.br | Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: folhablu | WhatsApp: (47) 99210 7635
Blumenau - SC
Todos os direitos reservados