Folhablu | Fábio Luciano, um meia que se transformou em zagueiro


Fábio Luciano, um meia que se transformou em zagueiro

Publicado em: 2017-01-22 09:13:00

Quando foi treinar nos juvenis da Ponte Preta nos anos 90, Fábio Luciano sonhava em se realizar no futebol como ponta-de-lança, aquele boleiro que cria jogadas ofensivas e igualmente deixa a sua marca de goleador.

 

Em tempo observaram que mantê-lo na posição seria malhar em ferro frio, considerando-se tratar de jogador lento para a função. Deduziram que o aproveitamento mais adequado dele seria no miolo de zaga, aproveitando a estatura de 1,90 metro de altura.

 

Foi então que esse vinhedense nascido em abril de 1975 "comprou" a ideia e, na nova função, mostrou predicados de descoberta da posição correta, principalmente respaldado na época pelo experiente quarto-zagueiro Ronaldão, com quem passou a formar dupla de zaga em 1996, quando passou a atuar no time profissional.

 

Foi aí que a porta do sucesso lhe escancarou de vez. E veio a graduação no Corinthians, quando integrou o time que conquistou o Mundial de Clubes em 2000.

 

No próprio Timão provou o veneno do sobe e desce. Bastou a eliminação da Libertadores em 2003 para que caísse em desgraça, e acabou emprestado ao Inter. O retorno ao Corinthians só foi possível quando o ambiente ficou desanuviado no clube, com a chegada do treinador Geninho para comandar a equipe.

 

Posteriormente, Fábio Luciano se transferiu para o Fenerbahçe, da Turquia. O que ele não contava é que uma lesão no púbis provocasse perda de espaço no clube turco, culminando com retorno ao Timão em 2006.

 

Ano seguinte, após rápida passagem pelo Colônia, da Alemanha, reencontrou o seu futebol no Flamengo, mostrando bom sentido de antecipação, quase imbatível no jogo aéreo e qualidade na saída de bola.

 

E acrescentou às citadas virtudes a habitual liderança dentro e fora de campo. Logo, caiu no gosto da torcida rubro-negra e manteve a condição de ídolo até 2009, quando decidiu parar de jogar, após conquista do Campeonato Carioca. Seu retrospecto no clube foi de 93 jogos e sete gols.

 

Ainda no Flamengo, foi coadjuvante na comissão técnica em gerência de futebol. Depois, em uma entrevista, poderia ter evitado restrições ao trabalho do treinador Andrade. Citou que ele não se impunha como comandante, embora o reconhecesse como profissional que conhece bem futebol.

 

Nos últimos anos, Fábio Luciano tem se divertido jogando futevôlei, inclusive montou uma equipe da modalidade que estava vinculada à Ponte Preta.

 

Por Ariovaldo Izac

ariovaldo-izac@ig.com.br

 


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial