Folhablu | Fertivitro esclarece as principais dúvidas sobre infertilidade masculina


Fertivitro esclarece as principais dúvidas sobre infertilidade masculina

Publicado em: 2017-01-17 15:08:38

Um dos grandes equívocos da população é atribuir à mulher a impossibilidade de se ter um filho, pelo fato dela ser responsável pela gestação e pelo parto. A infertilidade também pode ser do homem. Estudos apontam que as causas da infertilidade são 30% femininas e 30% masculinas. Em 25% dos casos, o problema atinge ambos os sexos e em 15% dos casais, a causa é desconhecida, casos esses chamados de infertilidade ou esterilidade sem causa aparente (Isca ou Esca).

 

O ginecologista e especialista em reprodução humana Luiz Eduardo Albuquerque, diretor da Fertivitro, explica que, ainda pouco conhecida, a causa mais comum de infertilidade no homem é a varicocele, uma dilatação anormal das veias dos testículos, que prejudica o fluxo sanguíneo local e a troca de nutrientes, o que leva a um acúmulo de substâncias tóxicas e ao aumento de temperatura na região testicular. “Esses fatores podem provocar alterações na quantidade (oligozoospermia) e na qualidade (teratozoospermia) dos espermatozoides”, diz.

 

Fatores nutricionais, má alimentação, stress e doenças crônicas também podem afetar a fertilidade masculina.

 

O especialista da Fertivitro destaca, a seguir, quais são as principais dúvidas apresentadas no consultório sobre o assunto.

 

Anabolizantes

 

Uma dúvida bastante comum dos pacientes que procuram tratamentos de reprodução assistida é sobre o uso de anabolizantes. Se a substância for consumida habitualmente para estimular o crescimento da massa muscular, ela pode comprometer a fertilidade do homem. Os anabolizantes diminuem o número de espermatozoides produzidos e até impedem a produção. Em alguns casos, o bloqueio é definitivo, pois gera a redução do tamanho do testículo e interrompe a produção. “Atualmente, não existe nenhum tratamento ou procedimento indicado para proteger os testículos enquanto o homem toma anabolizantes, por este motivo, o mais indicado é não consumir”, indica o doutor Luiz.

 

Roupas apertadas

 

Usar calça, bermuda ou qualquer outra peça de roupa apertada na região da genitália do homem pode afetar a fertilidade masculina. A região dos testículos não deve estar com temperatura elevada e sem circulação de ar, para não comprometer a produção e qualidade dos espermatozoides.

 

Roupas íntimas muito justas prejudicam a circulação do sangue, pressionam os testículos, aquecem a região e podem levar à infertilidade, pela falta ou má qualidade dos espermatozoides. “Se o homem se tornar infértil por este fato, a reprodução assistida é o único tratamento que poderá ajudar, caso o paciente tenha a intenção de ser pai”, afirma o especialista.

 

Obesidade

 

Assim como na mulher, a obesidade masculina é um problema que preocupa os médicos. Ela afeta a fertilidade do homem e gera consequências negativas no desenvolvimento embrionário e nas taxas de gravidez. Há muitas evidências de que a obesidade masculina implica, igualmente, na redução da fertilidade e na qualidade embrionária.

 

O doutor Luiz Eduardo Albuquerque explica que, quando o homem chega a um peso muito acima do normal, elevam-se os níveis da enzima aromatase e, consequentemente, uma maior quantidade de testosterona é transformada em estradiol (hormônio feminino). E, assim, o excesso de estradiol irá bloquear a hipófise, diminuindo os estímulos para o testículo produzir testosterona e espermatozoides. “É válido ressaltar que esse excesso de estradiol pode induzir o aumento de mamas no homem, reduzir a libido, causar disfunção erétil e a infertilidade”, comenta o especialista.

 

Pesquisas também comprovam que homens acima do peso possuem um índice maior de fragmentação do DNA do espermatozoide, o que poderá gerar problemas na fertilização. “A integridade do DNA espermático é importante para o sucesso da fertilização e para o desenvolvimento embrionário normal”, explica.

 

Drogas

 

Substâncias entorpecentes afetam a fertilidade masculina. A maconha, a cocaína e outras drogas interferem na qualidade e quantidade de espermatozoides. Se um paciente é dependente químico ou utiliza as substâncias quase que regularmente, é indicado realizar o exame espermograma para verificar a qualidade e quantidade dos gametas masculinos.

 

Tratamentos de reprodução assistida

 

Existem três tipos de tratamentos de reprodução humana: coito programado, cuja relação sexual é programada no período fértil; inseminação intrauterina (IIU), que consiste em selecionar os melhores espermatozoides e colocá-los dentro do útero, para facilitar o encontro do óvulo com os espermatozoides; e a fertilização in vitro (FIV), em que a fecundação dos gametas (óvulos e espermatozoides) é feita em laboratório.

 


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial