Folhablu | Segurança em casa: você lembrou das crianças?


Segurança em casa: você lembrou das crianças?

Publicado em: 2008-10-13 07:15:21

Conheço muitas crianças precoces, mas nenhum arquiteto ou engenheiro com 5 anos de idade. Talvez por isso as casas continuem sendo projetadas por adultos para adultos, deixando as crianças em segundo plano. Não, pensando bem, é a sala que vem em segundo plano. A cozinha está em primeiro. Depois vêm os banheiros, os quartos, os armários embutidos, o rebaixamento em gesso... hum, não vi “crianças” escrito na planta, não.

Este enfoque arquitetônico exclusivamente adultofílico pode fazer com que o lar-doce-lar se torne um verdadeiro parque de acidentes para os seus filhos. Escadas, tomadas, banheiros, portas e tantas outras coisas tão corriqueiras para nós podem representar um enorme risco para os pequeninos.

Eu sei, você vive ouvindo que a melhor coisa que você pode gastar com suas crianças se chama tempo, porém nem sempre é possível (ou aconselhável) mantê-las sob sua supervisão constante. Para diminuir o risco de dores de cabeça na sua ausência, recomendo conferir o nível de segurança da sua casa de acordo com os seguintes itens:

Estrangulamento

Cuidado com fios telefônicos, cordões de cortina, portas sanfonadas e portas que fecham sob pressão.

Sufocação

A sufocação costuma ser causada por alimentos, brinquedos e outros objetos pequenos que obstruem as vias respiratórias da criança. É fácil deixar passar desapercebidos objetos perigosos espalhados pelo chão, tais como pequenas partes de brinquedos, moedas, alfinetes, clipes de papel, bolas, borrachas, baterias, pilhas, anéis, brincos, ímãs de geladeira e tampinhas, especialmente quando o piso é escuro ou manchado. Se puder escolher, opte por pisos mais claros.

Envenenamento

Armários contendo maquiagens, bebidas alcoólicas e materiais de limpeza devem ser posicionados fora do alcance ou contar com trancas que impeçam o acesso das crianças. Cuidado com as plantas que você escolhe para a decoração.

Afogamento

O afogamento pode ocorrer em locais com níveis mínimos de água: sem supervisão, um bebê pode se afogar em uma banheira contendo menos de 5cm de água. Se você tiver uma piscina em casa, instale uma cerca com no mínimo 1 metro de altura em volta dela. Deixe o portão de acesso à piscina sempre fechado. Se for uma daquelas piscinas infláveis ou de montar, esvazie-a quando as crianças terminarem de brincar. E mantenha a porta do banheiro sempre fechada: por mais nojento que possa parecer, o vaso sanitário deve ser considerado um local de risco de afogamento para o bebê.

Cortes

Arranhões e pequenos cortes são um fardo da infância, mas isso não significa que você deva deixar a criança à vontade com um jogo de reluzentes facas estilo Rambo. Mantenha tesouras, copos de vidro, latas, barbeadores, chaves-de-fenda e todo e qualquer tipo de instrumento pontiagudo ou cortante fora do alcance das crianças.

Queimaduras e choques

Não passe fios elétricos sob tapetes, e não sobrecarregue tomadas e disjuntores. Tampe as tomadas que não estão sendo utilizadas com protetores específicos. Coloque a televisão, aparelhos de som e outros equipamentos elétricos bem próximos à parede - isto ajuda a evitar que a criança coloque a mão atrás deles.

Quedas

Os filhos nos ensinam muito. Por exemplo, com eles, você aprende em pouco tempo até onde vai o limite da sua paciência. Com o passar dos meses - e a sistemática revisão deste limite -, você irá perceber que o bebê tende a se aventurar pelos recantos mais inóspitos da casa, subindo, pulando e escalando o que estiver pela frente. As quedas são inevitáveis. Se você mora em andares altos, coloque grades ou redes em todas as janelas, retirando cadeiras, sofás e camas de perto.

Finalmente, as mesas, a TV e os armários de chão devem estar firmes e fortes. Se for necessário, compre e instale braçadeiras em “L”, prendendo os móveis à parede para evitar que eles caiam sobre o bebê alpinista. De resto, é só sentar e relaxar para contemplar esta fase tão mágica e relaxante que é a infância. Do ponto de vista das crianças, lógico.

Por Alessandro Loiola

Médico

Fale conosco

MSN: msn@folhablu.com.br

Skype: skype@folhablu.com.br


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial