Folhablu | A arrogância é uma virtude


A arrogância é uma virtude

Publicado em: 2018-05-20 09:58:59

 

 

 

 

 

 

Considero a arrogância uma virtude por dois motivos: primeiro, ela exige que o arrogante estude para evitar o constrangimento de ser rebaixado a um mero imbecil, algo que em geral ele teme mais que a própria morte.

 

Segundo, a arrogância exige que quem se sinta incomodado pela soberba alheia estude ainda mais para destronar o arrogante original, tornando-se automaticamente mais arrogante que ele, pois não é possível arranhar um arrogante atacando apenas sua pessoa. O arrogante provavelmente sabe o que é uma Falácia do Espantalho - do contrário não seria um arrogante de fato, mas apenas um idiota vítima de enfatuamento frívolo. O verdadeiro e bom arrogante teme o apontamento de erros crassos em suas convicções, e por isso ele investiga, pesquisa, fundamenta-se solidamente.

 

No final, seja por um lado ou pelo outro, a arrogância estimula a busca por conhecimento de um modo que a humildade e a modéstia (duas "virtudes" medíocres) jamais serão capazes.

 

Todavia e infelizmente, vivemos em uma sociedade que ama a preguiça e o autovitimismo, de modo que "humildade" e "modéstia" ocupam um lugar de destaque nas preferências coletivas. Exatamente por isso, na mesma intensidade em que aprecio a arrogância, desprezo a humildade e a modéstia.

 

A humildade, um conceito bastante vendido pela subserviência cristã, não passa de uma aposta hipócrita na condescendência: demonstro ser "humilde" com os outros para que, no meu momento de fraqueza (sim, eventualmente um momento de fraqueza irá puxar seu tapete...), as pessoas sejam indulgentes comigo. Não piso nas cabeças alheias pelo simples motivo que espero que alheios não pisem na minha cabeça quando tiverem oportunidade. A humildade não nasce da bondade, mas do medo - ainda que as pessoas tentem disfarçá-la com um chantili de nobreza, confundindo-a com respeito. Seja respeitoso, honrado, mas não humilde.

 

A modéstia é outra bobagem sem tamanho. Por exemplo: você recebe uma visita em casa e oferece uma xícara dizendo "Fiz esse café. Espero que goste...".

 

Se fosse eu, devolveria a xícara sem qualquer pudor.

 

A modéstia escancara seu descaso, sua apatia. Se você tivesse estudado sobre café, pesquisado o melhor grão, a proporção exata entre pó e água, a temperatura ideal para infusão, você teria oferecido a xícara anunciando sem vacilar: "Tome, prove o melhor café da sua vida!". E, se acaso o outro fizesse cara feia, o problema seria o mau gosto do paladar dele, não de sua técnica apurada.

 

Ser modesto não passa de um pedido de desculpas pela falta de empenho ou pela sua incompetência mesmo, uma solicitação antecipada de clemência em vista de uma indesculpável ausência de zelo.

 

Modéstia e humildade são sofás confortáveis dentro da sua zona de conforto. Apenas os inexpressivos aceitam repousar ali. Não deite nessa espuma.

 

Não seja humilde. Não seja modesto. Estude para ser arrogante.

 

Por Alessandro Loiola

Médico, palestrante e escritor

 

 


Fale com a Folhablu

Fones: (47) 3232 7154 | 9138 4105
Redação: webmaster@folhablu.com.br
Comercial: comercial@folhablu.com.br
Financeiro: financeiro@folhablu.com.br
Skype: skype@folhablu.com.br

Blumenau – SC
Folhablu notícias e publicidade digital - Todos os direitos reservados
Proibida a reprodução total ou parcial